O super cacau

Um estudo indica que em 2018 cerca de 62% de portugueses consumiam chocolate. Eu aposto tudo em como, deve ser bem mais perto dos 90%, não concordam?


Todos saberão ou já ouviram falar, que parte do chocolate é cacau, este sim, um superalimento consumido desde a civilização maia, e que passa por 17 processos para chegar ao formato de tablete a que nos habituamos a consumir.

Mas dos chocolates existentes no mercado, só devemos olhar e consumir os que têm percentagem de cacau acima dos 70%. Vamos descobrir porquê?

O chocolate branco não tem qualquer cacau adicionado, e o chocolate de leite (que partilha os mesmos ingredientes do branco – leite, gordura e açúcar basicamente) têm baixíssimas percentagens de cacau, o superalimento que vamos falar hoje. E porque é que o cacau é considerado um superalimento?

Já lá vamos. Colhido em regiões tropicais, o cacau pode ser consumido em pepitas, manteiga, pasta ou pó. Oriundo do cacaueiro, os benefícios do seu consumo são imensos para o nosso bem-estar.

O cacau, é altamente rico em polifenóis. É especialmente abundante em flavonoides, que têm um grande poder de ação antioxidante e anti-inflamatório, que tão ligados a inúmeros benefícios de saúde, como a redução de processos inflamatórios, melhoria nos níveis da corrente sanguínea, melhoria nos níveis de colesterol e dos níveis de glicose no sangue. Os grãos de cacau e os produtos feitos com eles sendo são naturalmente protetores do coração, e ajudam a baixar a pressão arterial, reduzindo o risco de doenças cardíacas.

O cacau também contém os minerais de construção óssea como o magnésio, manganês, cobre, zinco e fósforo.



Onde e como podes consumir?


No cacau em pó

Quando a manteiga de cacau é removida da pasta de cacau (que é feita da moagem dos grãos de cacau), fica o cacau em pó.

Esta é uma ótima maneira de obter antioxidantes sem gordura. Além disso, é o tipo de cacau mais fácil de utilizar, e até de certeza que tens em casa, e podes misturá-lo ou combiná-lo com muitos ingredientes na tua cozinha, como por exemplo na tua granola caseira ou numa versão de “nutela” veggie.

Em pepitas

São maravilhosas quando combinadas com frutos secos e podem ser misturadas com iogurte, bowls, smoothie ou cereais. São ideais também para colocar nas tuas receitas de forno, como muffins e bolachas.


Na manteiga de cacau

Esta é gordura pura dos grãos do cacau. Praticamente insípida, nota-se, contudo, o seu aroma. Como em tudo, deve ser usada com moderação, pois trata-se de uma gordura.

É um substituto, na dieta vegan, da manteiga e estando à temperatura ambiente, mantém-se sólido (ao contrário do óleo de coco).

É um recurso de cosmética natural, sendo um dos muitos ingredientes biológicos usados nos produtos naturais da OSUN.


Na pasta de cacau

Este produto já é feito a partir da trituração das pepitas de cacau, e é naturalmente repleto de antioxidantes

Quando quiseres comer um quadradinho de chocolate, faz a tua escolha num produto e qualidade que tenha uma percentagem de cacau elevada, acima dos 70% para maximizar os seus benefícios. Não basta ser escuro, tem mesmo de ter esta percentagem mínima e que podes ver na sua composição, se não estiver na embalagem de forma destacada. Quanto mais cacau tiver, mais efeito benéfico terá no teu bem estar, e menos espaço dá para que ingredientes como o açúcar interfiram na tua saúde e equilibro da flora intestinal, onde se dão os processos inflamatórios do teu corpo.

E a partir de hoje que chocolate vais passar a consumir? Com mais cacau, para passares a ter mais superpoderes, claro!



#alimentação #superalimento #nutriçãointegrativa #alimentaçãofuncional

Posts recentes

Ver tudo
  • Facebook
  • Instagram

©2020 Círculo+ | Todos os direitos reservados